sexta-feira, 4 de maio de 2012

Livros de Cortesia

Trago hoje para vocês mais um debate!

Estamos muito filosóficos essa semana...

Uma leitora me trouxe um fato bem interessante e, realmente, acho que é um assunto complexo.

Sempre me perguntei o que fazer com os livros que são enviados em parcerias (no caso de editoras que disponibilizam dois). O certo seria um para resenha e um para sorteio/promoção. Porém: e se li, fiz a resenha e depois não quero mais ficar com o livro? Poderia trocá-lo? Sempre fiquei na dúvida por causa do carimbo de cortesia que vem com eles.
Você ganhou para resenhar mas, bom, de qualquer maneira não vai deixar todos os livros da sua vida entulhados em casa, ou vai?

Então fica a minha dúvida. O que fazer (ou o que vocês fazem) com os livros que ganhamos? Criar outro sorteio futuramente? Doar? Simplesmente guardá-los? Ou ignoram essas informações e acabam trocando de qualquer forma?
E se percebermos que alguém está trocando por créditos no Skoob um livro de parceria, deveriamos alertar alguém?
Caso a pessoa concorde em alertar, temos a seguinte situação: já recebi livro em promoção de twitter que veio com o mesmo carimbo. Como já tinha o livro em casa, coloquei para a troca. Como alguém "de fora" saberia de onde veio o livro?
Acho que aí cabe mais uma questão de ética do que uma questão de carimbo ou não carimbo, até porque muitos livros para resenha nem são carimbados. É uma questão de que se você recebeu para resenhar seria anti-ético, por exemplo, vender.

Talvez seria ético trocar desde que trocando com outro blogueiro que também resenhasse - acabaria se mantendo o propósito, ao menos.

Nos EUA se têm diversos sorteios e "livros viajantes" entre blogueiros, para se desapegar de livros que chegaram para resenha. Talvez uma coisa do gênero pudesse ser planejada aqui também.

Outra alternativa seria doar para uma biblioteca, pública ou de uma escola pública. (conforme a Carol Acunha lembrou nos comentários)

Na verdade, quero ouvir a opinião de vocês, assim como nossa leitora pediu, o que fazer (ou o que vocês fazem) com os livros recebidos para resenha?

52 comentários:

  1. Se não quer ficar com eles, doa para uma biblioteca pública.

    ResponderExcluir
  2. Luciana Tazinazzo Figueira4 de maio de 2012 12:51

    Eu nunca tinha pensado sobre isso. Realmente é um assunto importante. Acho que o que as editoras esperam dos blogs é um sorteio, mas a ideia de trocar com um blogueiro que também faça uma resenha me parece justa.

    ResponderExcluir
  3. Minha sincera opinião? O livro é seu.
    O compromisso é em ler e resenhar, se você quiser ficar com o livro depois disso, fica, se não quer, troque (vender é ilegal, mas trocar não). Eu já recebi três livros de uma editora: um para sorteio e dois para mim (um era edição não finalizada, mas perfeita em comparação à outro). O que eu fiz? Li, resenhei, fiz promoção, e depois troquei um dos meus no skoob. Fiquei com a edição não finalizada pra mim. Sem neura nenhuma - e os três tinham carimbo. Não acho que seja errado - você ganhou o livro e fez o combinado. As editoras deixam bem claro que o livro é pra você - a não ser os que tem em politica de parceria que cada livro precisa ser resenhado e sorteado. No mais, troque, presenteie, ou faça um sorteio - o que você achar melhor.

    ResponderExcluir
  4. Ih, sempre que não quero ficar com o livro, eu troco no Skoob, como qualquer um dos livros que compro.

    Quanto a vender, já não sei. O carimbo geralmente diz que não pode ser vendido. Mas... Depois que li e resenhei, qual o interesse da editora no destino do livro? O livro não é meu e eu faço o que quiser? Eu não vejo problemas, mas não sei se isso poderia ser considerado antiético.

    ResponderExcluir
  5. Eu não acuso quem troca o livro. Não troco, mas não aponto o dedo. 
    Acho o fim quem vende livros de parceria, e sim, está CHEIO de gente vendendo.
    Fiz uma limpa na minha estante durante o feriado, separei 99 livros entre recebidos para resenha e comprados. Doei todos para a Casas André Luiz. Mas essa sou eu e podem me chamar de retrógrada por conta disso, mas não RESPEITO quem vende algo que está CARIMBADO com "Venda proibida". 

    ResponderExcluir
  6. Uma questão complicada, sem sombra de dúvidas. 
    Eu penso que se a Editora doou os livros para o blogueiro, a partir do momento que o mesmo os recebe, estes passam a pertencer a ele. No entanto, acho que a venda desses livros é antiética. O livro é seu? Sim. Mas ele foi cedido para você. 
    Claro que não somos obrigados a manter todos os livros que recebemos, imagina nossas casas como seriam? Acredito que devemos manter os que realmente gostamos e, caso tenhamos algum repetido ou algum menos interessante para nós, podemos trocar (sem créditos em $$ no Skoob) ou, como sugerido, doar para uma Biblioteca, onde manteremos o propósito dos nossos blogs: propagar a leitura, certo?! 

    ResponderExcluir
  7. Não acho certo vender, mas não vejo problema em trocar ou doar.
    Há grupos de livros viajantes no próprio Skoob, então porque não desapegar e estimular a leitura?

    ResponderExcluir
  8. Eu também penso que a partir do momento que a editora cedeu o livro ele é do blogueiro. Sendo dele, ele faz o que quiser. 
    Vender realmente é uma questão mais complicada, vai de cada um. Agora trocar, não vejo problema nenhum. Você recebeu o livro, resenhou e vamos dizer, não gostou dele. Por que não trocar com alguém que gostaria de lê-lo? Eu mesma ganhei um livro de uma gincana num blog que tem o carimbo de parceria. Li, não gostei e vou trocar no skoob. Vou dar a oportunidade de mais alguém lê-lo.

    ResponderExcluir
  9. Não sou parceira de editora, meu blog não é pequeno, é microscópio, só tenho porque gosto de escrever de vez em quando.
    Então vou comentar como o que sou: Uma leitora que ama ler, mas que não tem como comprar todos os livros que gostaria e adepta de trocas. Ah, e que não guarda livros. Não releio, então porque guardar?

    Troco via internet desde o início do orkut, foi uma facilidade até então desconhecida.
    Não sou à favor de vender os livros recebidos de parceria, mas trocar livro por livro, porque não? Se a/o blogueiro/a é parceiro da editora R, mas não é da editora X, ou A, ou H, etc, e quer um livro desta editora, porque não trocar?

    Todo mundo lê, todo mundo fica feliz.

    O fato de ter carimbo deve ser explicado à quem for receber na troca, mas tirando isso, o livro é de quem o recebe pela parceria, troque ou doe, tanta gente precisando....Ou leve a um hospital, casa de apoio, centro de desintoxicação de dependentes químicos. Tenho certeza que será útil pra alguém. Melhor que ficar enfeitando a estante de quem não irá reler.

    Como é o meu caso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Só acho errado se vender, eu não tenho parceria com editoras, e só ganhei um livro em um sorteio, que deve chegar hoje (sou super sortuda, só que ao contrário). Então não tenho muito o que dizer sobre isso, mas acho que se você não quer mais o livro deve doar ou trocar, melhor que ficar acumulando espaço desnecessáriamente né? 

    ResponderExcluir
  11. A pessoa pode fazer o que quiser, porque o livro é dela, então não acho que seja legal esse negócio de alertar a editora caso veja alguém trocando. Aí entra a consciência de cada um.

    Não acho legal vender. Mas aí penso: E a discussão sobre as editoras pagarem aos blogueiros pra resenhar? No final das contas, não daria praticamente na mesma? Eu não venderia e acho feio, mas não sei dizer se seria errado. Com a troca, é mais ou menos a mesma coisa.

    Recebi alguns livros de uma editora que envia todos os lançamentos para os parceiros. Não lerei todos, porque alguns realmente não me interessam, então sorteei/vou sortear. Quanto aos que li e não quero manter, pretendo doar para uma biblioteca. Pensando no blog como um incentivador da leitura, acho que essa é a melhor opção. É bom pra mim, porque não gastarei com correio; para a editora, porque mais gente terá oportunidade de conhecer os livros; e para os leitores.

    ResponderExcluir
  12. Não vejo problema nenhum em trocar um livro recebido, apesar de não ter o hábito de fazer isso. Mas sou contra vender, afinal de contas tem um carimbo com "venda proibida", acho bem estranho.
    No entanto não julgo ninguém, cada um faz o que tem vontade. 

    ResponderExcluir
  13. Eu, particularmente, nunca me desfiz dos livros de parceria. Eu AMO reler meus livros, mas realmente tem alguns aqui que eu não irei reler (porque não curti tanto assim), então ainda estou pensando no que fazer com eles. 
    O mais legal eu acho que seria doar mesmo - para uma biblioteca, instituições de caridade, escolas públicas ou privadas ou até mesmo para um amigo que ainda não leu! Ainda assim, não vejo o menor problema em realizar trocas - mesmo via Skoob com direito a crédito - já que esse crédito só pode ser trocado em outro livro e não em dinheiro.
    Vender o livro eu acho que é um tanto antiético, mesmo que não tenha carimbo - afinal de contas, você ganhou o livro! E ninguém vai ficar rico (nem mesmo pagar as contas do mês) vendendo livro usado >< Então, acho que a ideia da troca é bacana e a ideia da doação (mesmo que seja como presente para amigos) é ainda mais interessante.
    Agora, denunciar alguém que está vendendo um livro carimbado eu acho que não vem ao caso... é antiético, mas não é ilegal. Cabe ao comprador não aceitar pagar por um livro que foi ganhado. 

    (Claro, tudo isso é só a minha opinião)

    ResponderExcluir
  14. Acho que vender o livro de cortesia seria muito anti-ético, errado, na verdade. Eu recebo livros de cortesia muito recentemente, então não tinha parado pra pensar nisso! Acho que se eu não quero mais, poderia trocar ele, mas vender não. Ou como diz no post, doar a alguma biblioteca, seria bem melhor.

    ResponderExcluir
  15. Faltou um pedaço do email que considero importante... como tinha essa dúvida em relação ao "pode trocar ou não", perguntei a uma editora. A resposta foi a seguinte: "Realmente nossa política de envio dos livros é um para sorteio ou
    promoção e um para resenha, sendo exclusivamente para esses fins." Exclusivamente. Sei que não controlam isso - e nem deve ter como - mas essa é a posição da editora. E por isso entra a questão do "denunciar" ou não.

    ResponderExcluir
  16. Ceile Dutra de Moraes4 de maio de 2012 15:03

    Como sou extremamente apegada aos meus livros, não consigo me imaginar fazendo qualquer coisa destas descritas: doar, vender, trocar. Sim, eu sou aquela da situação que vc disse que entulha os livros hauhauhauhauh.

    Tentando ao máximo me colocar no lugar da pessoa que desapega, a única coisa que eu não faria é vender. É inadmissível! É como vender uma amostra grátis! Agora sobre trocar, acho que pode, normal, assim, para aqueles livros de promoção. Na verdade não tem como provar nada, já que um blogueiro também pode participar de uma promoção e ganhar um livro...

    ResponderExcluir
  17. Não vejo problema algum em trocar. Eu penso assim, se eu resenhei o livro, fiz o sorteio, divulguei bonitinho, qual o problema? Tenho livros aqui que sei, jamais vou reler, então eles deveriam ficar aqui na estante até apodrecerem? O conceito de trocar seria, de certa forma, um outro tipo de divulgação. Um sorteio é uma oportunidade de outra pessoa conhecer o livro, a troca também é. 

    Vender eu também acho anti ético, afinal, vem o carimbo, e mesmo se não viesse... acho esquisito vender algo que você recebeu como um material de trabalho. Mas daí a pessoas ficarem de olho em quem está fazendo isso pra denunciar, acho no mínimo um pouco de falta do que fazer, ou me passa a idéia de querer ganhar uns pontinhos com a editora. (o que pra mim é ser tão "sacana" quanto - e sim, já aconteceu). 

    ResponderExcluir
  18. Como alguém já citou: o propósito foi realizado. Eu li e resenhei. O livro é meu, então posso trocar ou doar. Vender já não acho correto. Seria legal avisar a pessoa que se interessar em trocar, que se trata de um livro de cortesia (só pra garantir).

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Acredito que vender não seja o correto, mas trocar é válido, afinal mais pessoas irão ler o livro!
    Recentemente recebi kits de parceria duplicados (em vez de dois recebi quatro), entrei em contato com a editora para que houvesse a devolução, A editora disse que eu poderia fazer alguma ação que incentivasse a leitura. Doei  para um projeto educacional, mas existem muitas bibliotecas e outras instituições que poderá fazer uso dos livros. =)

    ResponderExcluir
  20. Se não gosto do livro, muito raramente eu farei uma promoção dele - sabe a política do "não faça com os outros o que não gostaria de que fizessem com você?, então... Eu simplesmente doo para a biblioteca da minha escola ou dou a algum amigo, sei lá... Não tenho vergonha em admitir isso. Oras, o livro é meu, certo? Estou errado? Acho que vender, sim, é errado.

    ResponderExcluir
  21. Os livros são enviados para AQUELA pessoa RESENHAR, logo, não acho correto passá-lo para frente: venda, troca, doação ou o que for; EXCETO se for expressamente autorizado pela editora por escrito.

    ResponderExcluir
  22. Eu nem tenho parceria com editoras, mas já tive livros que tinham com esses carimbos. eles vieram tanto por trocas pelo Skoob como por presentes. Oras, se a editora mandou para você e não há nada no contrato falando que deve devolver ou algo assim, então que se livre desses livros caso não os queira mais. Só que, se tiver escrito no carimbo "Venda proibida", não venda. Respeito, né, gente? Mas trocar, dar de presente, doar, fazer fogueira (!!), não tem nenhum problema na minha opinião.

    ResponderExcluir
  23. Não acho trocar um problema, a maioria das editoras não se importa e isso faz o livro chegar na mão de outro leitor. Vender é outra coisa, independente do carimbo, vc só vende o que comprou, senão estaria ganhando dinheiro em cima de algo que recebeu por cortesia.
    Doar também é uma boa coisa, minha cidade tem uma biblioteca muito boa, e se tiver interesse em sortear o que sobrar também não vejo problema algum.
    Na verdade só vejo real problema mesmo em vender um livro de cortesia.

    ResponderExcluir
  24. Acho que trocar o livro não é problema desde que seja o seu exemplar. E que o outro obviamente seja usado em algum sorteio entre os leitores do blog. Afinal, editora que manda dois exemplares do mesmo livro envia com o propósito de receber uma resenha e ter uma "campanha" de divulgação do outro.

     Vender é um completo absurdo. Não tem nem o que discutir. Se o livro é repetido, doa para alguém da família, amigo ou uma biblioteca. Mas não venda!

    ResponderExcluir
  25. Eu nunca troquei nem vendi nenhum livro de parceria, mas não vejo problema em fazer nenhum dos dois. A editora não está me doando um livro, ele está comprando um espaço de publicidade no meu blog e pagando com o material, que passará a ser meu. É como eu receber por um serviço e não poder gastar o dinheiro. 

    Se eu receber dois livros, aí já é diferente. Eu sempre sorteio o outro porque é por isso que a editora enviou o exemplar, vender eu já não acho certo... Doar, caso eu julgue que o livro não poderia ser sorteado em meu blog seja talvez a alternativa certa. De qualquer forma, trocar aquele livro que a gente leu e não gostou, eu não vejo problema algum... :)

    ResponderExcluir
  26. Aqui no meu blog somos 4 e ai quando recebemos 2, em geral quem resenha fica com o livro, quando não quer ficar, ou deixamos para algo futuramente, porque livro é livro independente de moda como alguns pensam, ou contemplamos duas pessoas no sorteio. Graças a deus todos podem de vez em quando comprar seus próprios livros e não dependemos de parcerias para lê-los.

    ResponderExcluir
  27. Eu acho que fazer as trocas no Skoob é válido,mas o cúmulo da cara de pau é vender o que independente de qualquer coisa você ganhou.

    ResponderExcluir
  28. Eu penso que quando a editora te entrega o livro pra ser resenhado ela só quer que você leia e faça a resenha. Depois disso o livro é seu. Trocar e vender são a mesma coisa. Doar, você doa qualquer coisa que tenha sido comprada com dinheiro (só acho triste doar/vender/trocar livro que foi presente). Eu comprei num sebo um livro com carimbo de cortesia e confesso que nunca tinha parado pra pensar se quem passou o exemplar para o sebo foi errado ou não.

    ResponderExcluir
  29. Como sempre dizem aqui, parceria é um negócio e nesse caso o livro recebido da editora é o preço pago pela divulgação, portanto o blogueiro que receber pode fazer o que quiser com ele, do mesmo jeito que poderia fazer o que quisesse se recebesse dinheiro no lugar do livro. Porém, acho errado vender algo com um carimbo de cortesia, mas trocar/dar não tem importância contanto que avisem para a pessoa que o livro tem o carimbo, caso tenha.

    Agora, uma coisa que vocês ainda não comentaram aqui e sei que MUITAS pessoas estão falando sobre... A saída de praticamente todos os autores de uma certa editora meio nova no mercado, aquela amiguinha de todos no twitter e com lindas capas de livros, sabe? Vão falar algo sobre? Me assustei quando vi que quatro autores (ou mais, não tenho certeza) decidiram sair dela.

    ResponderExcluir
  30. Nunca tive problemas qto a isso, já comprei livros que tinha o carimbo de barraquinhas que não deveria ter, já recebi de troca pelo Skoob e tbm coloco os meus para troca. 
    Agora tbm vale olhar pelo lado do blogueiro. A tal editora sempre manda 2 exemplares quando o certo é enviar um para o blogueiro resenhar e o 2º a editora enviar para promoção, então quem fica encarregado de mandar é o blogueiro (gastar dinheiro no Correios e afins) e tbm essa msm editora sempre manda um monte de livros, mesmo quando vc encerra a parceira ou não quer ler todos eles.Não acho justo ficar com livros mofando na minha casa, livro foi feito para ser lido, o que eu não gosto, provavelmente será maravilhoso para alguém, então vamos fazer o livro rodar.Os que eu peço são lidos, resenhados e aí decido se vou ficar com eles ou não (minha troca com a editora é ler e resenhar), se vou fazer promo, dar para um amigo, trocar e afins é problema meu.Acho justo levantar essa questão, mas tbm temos de ver todos os ângulos e isso de mandar mil livros sem o blogueiro querer tbm deveria ser levado em consideração. 

    ResponderExcluir
  31. Não concordo com quem vende os livros que tem carimbo de proibida a venda. Contudo, não vejo nenhum problema nas trocas desses livros. A relação entre blogueiro e editora é uma relação de prestação de servições, a editora manda o livro gratuitamente e o blogueiro, em contrapartida, resenha tal livro. Encerra-se ai o "contrato", dando ao leitor o direito de fazer o que quiser com os livros.

    ResponderExcluir
  32.  É óbvio que quando uma editora envia dois exemplares para um blogueiro 1 é para sorteio e 1 para resenha (EXCLUSIVAMENTE)... aí você lê, resenha, sorteia o exemplar que veio para sorteio e o que vc faz com o outro que leu e resenhou?

    Se vc é uma pessoa q gosta de colecionar livros, ótimo. Esse livro é seu.
    Se vc não se apega a livros e gosta de trocar para conseguir outros títulos e ter mais material para resenha no blog, ótimo também. O livro é seu.
    Vender é claro que é contra as regras, pois no carimbinho sempre vem dizendo "Não comercial ou proibido a venda". Claro que existem espertinhos que fazem isso, mas fazer o que? Como alguém aí disse, como a pessoa vai saber se ele ganhou em um sorteio ou ganhou da editora?

    Se você cumpriu o seu papel com a editora de ler, resenhar e sortear, o outro exemplar que ela disponibilizou é seu. Esse é o "pagamento" pelo seu trabalho. Então você faz o que quiser com ele =D

    ResponderExcluir
  33. Eu costumo colocar para sorteio alguns dos livros que chegam para resenha, mas se eu souber que vai ter sessão de autógrafos com o autor(a) na Bienal (por exemplo), eu deixo guardado para autografar e futuramente sorteá-lo com mais esse detalhe...

    ResponderExcluir
  34. Olha só, uma coisa a se fazer seria realmente esclarecer com a editora se há algum problema com a troca de livros (venda nunca, material promocional não se vende, isso desde a época dos vinis... #souvelha). No meu caso, como autora, já teve livro meu de parceria que foi trocado ou mandado por uma blogueira pra outra. Percebi pq a pessoa resenhou e disse que recebeu da outra blogueira. Não me incomodei com a troca (me incomodei com o fato de não ter resenha do livro no blog pro qual eu o mandei, mas isso é outra coisa), mas sei lá, preferia ter sido consultada antes. Então, acho que como editora, não me incomodo com a troca em si, mas gostaria de ser consultada e que fosse só entre blogueiros.

    E se vcs são contra a troca/venda, mas acham doação (eu tbm acho, aliás) uma coisa bacana e querem contribuir, podem mandar pro PROLER aos meus cuidados. Se não ficar na nossa Biblioteca, a gente manda pra um dos nosso 76 comitês pelo Brasil. O endereço é Rua Pereira da Silva, 86 - Laranjeira, Rio de Janeiro - RJ CEP 22221-140.

    ResponderExcluir
  35. ow gente... dicas dicas? srsrsrs quero saber qual é ^^

    ResponderExcluir
  36. Concordo com a maioria, não vejo problema nenhum em trocar o livro depois de resenhado. Mas tem uma coisa que ninguém (eu acho) mencionou: e quando a editora manda um gênero que você não gosta? Todos sabemos que tem uma editora que manda todos os lançamentos para todos os parceiros, isso inclui suspense, não-ficção, romance, chick-lit, etc. E se a pessoa não gostar de um determinado gênero? Ela tem que ler mesmo assim?

    ResponderExcluir
  37. vender eu acho errado, mas e quando vc ganhar um livro no sorteio?? Eu estava nesse dilema. Comprei um livro da NC e depois ganhei o mesmo livro em um sorteio, o qual veio carimbado com cortesia. Fiquei na dúvida se devia ou não trocar, e decidi colocar como troca no skoob, esperando a pessoa se interessar e obviamente avisá-la que eu ganhei o livro. Enfim, vender eu jamais venderia, mas e trocar livros que ganhei repetido?? não sei ainda rs

    ResponderExcluir
  38. Hehehe, vou falar mais do mesmo. Se eu não gostei do livro, tenho algumas opções: trocar (maioria das vezes - até troco livros de que gosto para renovar a estante. Livro parado é muito triste), doar (menos provável se for para a biblioteca - a da minha cidade acaba com os livros), sortear (menos provável ainda) e colocar para viajar no skoob (acho a melhor opção. Várias pessoas tendo acesso ao mesmo exemplar - assim ele não fica parado nem contraria quaisquer regras de carimbo. Acaba divulgando a editora, é verdade, mas o objetivo principal é fazer mais pessoas terem acesso a uma obra que desejem muito ler). ;D

    ResponderExcluir
  39. Não vejo problema... A pessoa que participa do sorteio não tem compromisso nenhum com a editora ou com o blogueiro. Se acontecesse comigo neste momento, eu dispensaria o prêmio, porque estou desesperada com tanta coisa pra ler. Mas já aconteceu de ganhar em português um livro que eu já tinha em inglês, e fiquei com os dois. Também já ganhei livro que eu não queria ler, em promoção que eu nem sabia que estava participando, aí dei pra uma amiga.

    ResponderExcluir
  40.  Assim como a Alba eu acho o cúmulo do absurdo vender livro de parceria. Está lá que a venda é proibida, mesmo assim as pessoas sempre arrumaram um jeito de fazer. É uma falta de respeito do caramba.

    Quanto a trocar, eu também não faço. Prefiro dar, doar, do que fazer isso, mas assim como a Alba, também não condeno. A pessoa não gostou do livro e tem todo direito de passar para frente. Agora pode ter certeza que tem gente que solicita todos os livros possíveis de parceria, mesmo não estando muito afim. Depois lê de qualquer jeito, coloca na fila de trocas para garantir os livros que ela não possui parceria. Tem blogueiros que só ficam na dependência de receber livros de editoras. E antes que me atirem pedra, e falem que livros no Brasil são caros, etc... no Submarino tem sempre livros por R$ 9,90, sem contar que os livros de bolso costumam ser nessa faixa. Até a Saraiva tem livros por R$ 9,90, e muitas vezes nem é edição econômica.

    ResponderExcluir
  41. Não vejo problema em trocar ou doar os livros recebidos de parceria, desde que a pessoa que vá recebê-lo tenha ciência disso! Na hora de colocar o livro para troca, é importante alertar o interessado sobre a existência de um carimbo de parceria/cortesia! Isso porque esses livros não podem ser vendidos! Algumas editoras inclusive mencionam isso expressamente nos termos de parceria! Já vi inclusive editora deixando claro que os livros de parceria não podem ser sorteados! 
    Acho que a melhor solução, e que tenho certeza que ninguém reclamaria, é que as pessoas doassem esses livros para uma biblioteca!

    ResponderExcluir
  42. Eu tinha (oficialmente, ainda tenho, porque ainda não responderam ao meu pedido de cancelamento) parceria com essa editora que manda todos os lançamentos. No início, eu perguntei se haveria algum problema caso eu não quisesse ler algum, e disseram que tudo bem, então sorteei. Aí, mesmo não lendo, faço um pouco de divulgação pra editora, porque sempre tem alguém que vá gostar (tirando um livro específico, que nunca vi ninguém dizer que gostou).

    ResponderExcluir
  43.  Eu também vou começar a fazer isso, de sortear os 2 exemplares dos livros que não tenho interesse em ler, pois eu tinha enviado um e-mail para a editora, perguntando se eu poderia escolher apenas os livros que eu queria, e não me responderam. Então para resolver isso, faço o sorteio e pronto.

    ResponderExcluir
  44. Já ganhei muitos livros em sorteio que vem com carimbo de "Parceria", mas não considero parceria um livro ganho. Alguns inclusive troquei quando já tinha igual, sempre avisando sobre o carimbo.
    E também já vi várias vezes livros novíssimos para venda em sebo com carimbo de Cortesia/Parceria... como foram parar lá é que não sei se tem como controlar.

    ResponderExcluir
  45. Eu já cheguei a ficar na dúvida quanto a isso... Coloquei um livro (o único que já recebi até hoje, na verdade) para troca no skoob apenas para ver no que iria dar (já que estou começando a conhecer o plus e esse sistema de trocas, e convenhamos que já passou o tempo de colocar pra sorteio - já que, querendo ou não, o livro estava bastante manuseado, apesar de em bom estado) e por acaso esse livro de cortesia foi o único solicitado. Às vezes, nesse caso de trocas, é até melhor que o livro "ande" por aí do que fique parado na estante de alguém. Geralmente quem participa desse sistema de trocas está sempre trocando livros (provavelmente esse livro vai ser depois trocado com outra pessoa), e no fundo isso é uma coisa boa, pois tá fazendo a literatura circular por aí. Pode até ser que seja bom avisar, mas mesmo assim, eu não acho a troca errada.

    A editora ou o/a autor/a mandou um livro para resenha como forma de divulgação. Depois de feita a resenha, eu acho, sinceramente, que o livro é do/a blogueiro/a e ele faz o que bem entendem com ele, seja colocar para promoção, para troca ou para doação. Agora VENDER, pra mim, é extremamente antiético.

    ResponderExcluir
  46. Acho que essa é uma discussão sem fundamento. Não tem nada a ver! Já recebi livro de troca pelo skoob com esse carimbo e não me senti lesada nem olhei o antigo dono com maus olhos. 

    ResponderExcluir
  47. A partir do momento em que o livro já foi resenhado imagino que não tenha problema algum em trocá-lo, já que o livro passa a ser seu, correto?
    O que imagino ser anti-ético e um tanto imoral é receber o livro com a finalidade de resenhar e trocá-lo sem ter cumprido sua parte na parceria. 
    Também concordo com você no que diz respeito a vender o livro carimbado, uma coisa é trocar, outra é lucrar com um acordo de divulgação.
    XX

    ResponderExcluir
  48. Vender acho o cumulo. Agora trocar não faz diferença. Ate mesmo livros ganhados em sorteio tem o carimbo, e já ganhei dois livros iguais e troquei um. Agora vender é inaceitavel.

    ResponderExcluir
  49. doem para mim esses livros !

    ResponderExcluir
  50. Pra mim também!!! :(

    ResponderExcluir
  51. Eu troquei já livros que eu comprei por outro que algum blogueiro ganhou de editoras.
    A menina me informou então tudo certo!
    Acho que a pessoa tem apenas que informar que tem esse carimbo, para o outro saber se se importa com isso ou não.

    ResponderExcluir